terça-feira, 1 de abril de 2014

Lição 1 LIBRAS Lingua Brasileira de Sinais




CONHECENDO O ALFABETO EM LIBRAS

SUBSTANTIVOS





Aula para os alunos da 6 série

Assunto: Revisão  sobre substantivos

Leitura do texto:
O bicho de Manuel Bandeira

https://www.youtube.com/watch?v=VhwivySJgMA

sábado, 25 de maio de 2013

a linguística textual

             A linguística de texto surgiu na década de 1960. Desenvolveu-se rapidamente e em várias direções, seguindo um princípio básico: o texto é uma unidade linguística hierarquicamente superior à frase. E uma certeza: a gramática de frase não dá conta do texto. 
É de interesse uma análise sistemática do que seja e como se faz linguística de texto, pois ela é uma das linhas de pesquisa mais promissoras da linguística atual. Os resultados existentes, mesmo não sendo definitivos, são muito animadores, especialmente pelas perspectivas de revitalização teórica que oferecem à linguística e pelas soluções que poderão propiciar ao estudo da comunicação humana e ao ensino de línguas. O falante se comunica através de textos e não de frases, não importando se essa comunicação se processa através de textos muito extensos (livros, artigos) ou de textos bem curtos (bilhete, participação de nascimento, anúncio de classificados).
            No entanto, essa afirmação, aparentemente despretensiosa e simples, requereu estudos sérios, pesquisas sistemáticas e uma grande dose de coragem para romper com princípios linguísticos cristalizados. E é aqui que surge a expressiva importância do professor Luiz Antônio Marcuschi, que publicou no Brasil a obra marco da linguística textual. Dessa obra decorreram inúmeros estudos, discussões, outras obras e — o que é mais surpreendente — uma reflexão seguida de uma mudança histórica no processo do ensinar e aprender língua. 
Impossível a quem queira percorrer os caminhos dessa ciência desconhecer a obra do mestre Marcuschi.
Luiz Antônio Marcuschi


Luiz Antônio Marcuschi é doutor em filosofia da linguagem (1976) e pós-doutor em questões de oralidade e escrita (1987). É professor titular em linguística do Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco. Na UFPE, criou o Núcleo de Estudos Linguísticos da Fala e Escrita (NELFE). É pesquisador IA do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e foi, por várias vezes, representante de área tanto no CNPq quanto na CAPES. Foi um dos fundadores da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL) e seu presidente de 1988 a 1990. Tem várias publicações, muitas delas explorando temas pioneiros na área da linguística. É autor dos livros Análise da conversação; Da fala para a escrita: atividades de retextualização; Fenômenos da linguagem: reflexões semânticas e discursivas; Cognição, linguagem e práticas interacionais e colaborou nas seguintes obras (dentre outras):Conversas com linguistas; Gêneros textuais e ensino; Hipertexto e gêneros digitais.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Figuras de linguagem



  • 1. TIPOS DE LINGUAGEM 
  • DENOTATIVO: sentido real (dicionário) Ex: Minha geladeira quebrou. CONOTATIVO: sentido figurado Ex: Minha namorada é uma geladeira.
  • 2. FIGURAS DE LINGUAGEM
  •  ONOMATOPÉIA IMITAÇÃO DE SONS BUMMM
  •  Plunct, plact, zumm , Não vai a lugar nenhum..
  • ASSONÂNCIA REPETIÇÃO DE VOGAIS AAAAAA
  • Ex:A minha alma tá armada E apontada para a cara Do sossego (sego...) Pois paz sem voz Pois paz sem voz Não é paz é medo, (medo)
  • ALITERAÇÃO REPETIÇÃO DE CONSOANTES 
  • Ex:p enso que p ena que seja p ouco só p enso em p ensamento quem p ode me p rocurar de cá de lá vale b eijinho, b eijo, b eijoca o b da b rincadeira, b rinquedo, b al b uciar tin-tirim-tirim (2x)” tim-tirim My l ove l ua da l enda l onge me l eva l á
  • SÍMILE - COMPARAÇÃO
  • Ex:É TÃO CERTO QUANTO O CALOR DO FOGO JÁ NÃO TENHO ESCOLHA E PARTICIPO DO SEU JOGO Não consigo dizer se é bom ou mau Assim como o ar me parece vital Onde quer que eu vá o que quer que eu faça sem você não tem graça
  • METÁFORA
  • Ex:AMOR É UM LIVRO – SEXO É ESPORTE SEXO É ESCOLHA – AMOR É SORTE AMOR É PENSAMENTO, TEOREMA AMOR É NOVELA – SEXO É CINEMA SEXO É IMAGINAÇÃO, FANTASIA AMOR É PROSA – SEXO É POESIA
  •  METONÍMIA SUBSTITUIÇÃO  

  • POLISSÍNDETO MUITA CONJUNÇÃO E... E... E... E... E...
  • Ex:Disseste que se tua voz Tivesse força igual à imensa dor que sentes Teu grito acordaria não só a tua casa Mas a vizinhança inteira E há tempos nem os santos Têm ao certo a medida da maldade E há tempos são os jovens que adoecem E há tempos o encanto está ausente E há ferrugem nos sorrisos E só o acaso estende os braços quem procura abrigo e proteção
  • ASSÍNDETO SEM CONJUNÇÃO
  • Ex:EU NÃO SOU SEU, EU NÃO SOU DE NINGUÉM VOCÊ NÃO É MINHA, EU NÃO TENHO NINGUÉM NÓS SOMOS LIVRES INDEPENDENTE F.C. VOCÊ NÃO MANDA EM MIM, EU NÃO MANDO EM VOCÊ VOCÊ SÓ FAZ O QUE QUER, EU SÓ FAÇO O QUE QUERO NÓS SOMOS LIVRES INDEPENDENTE F.C. SE A GENTE TA ASSIM COMENDO CAPIM É PORQUE A GENTE QUER, SE NÃO QUISER NÓS SOMOS LIVRES INDEPENDENTE F.C.
  • PLEONASMO REITERAÇÃO DE IDÉIAS
  •  “ Todo dia ela faz tudo sempre igual Me sacode às seis horas da manhã Me sorri um sorriso pontual E me beija com a boca de hortelã”
  • ANTÍTESE APROXIMAR OPOSTOS
  • Ex:Uma noite longa pra uma vida curta mas já não me importa, basta poder te ajudar E são tantas marcas que já fazem parte Do que eu sou agora Mas ainda sei me virar Eu tô na lanterna dos afogados Eu tô te esperando vê se não vai demorar
  • ex: Luz E Sombras Voz E Silêncio Razão, Coração Você E Eu Gelo E Fogo Maldição E Beleza Dor, Cura Eu E Você No Tênue Laço Que Envolve Os Sonhos Sob O Fino Véu Que Protege Os Segredos No Sol Ardente Que Abrasa Os Desejos Na Brisa Suave Que Abranda Os Temores Caminhamos Juntos, Lado A Lado Somos Opostos Que Se Atraem E Se Um Dia Fomos Dois, Hoje Somos Mais... Somos Um... OPOSTOS by prof. Joãozinho
  • Ex:MUDARAM AS ESTAÇÕES NADA MUDOU MAS EU SEI QUE ALGUMA COISA ACONTECEU ESTA TUDO ASSIM TÃO DIFERENTE SE LEMBRA QUANDO A GENTE CHEGOU UM DIA A CREDITAR QUE TUDO ERA PRA SEMPRE SEM SABER QUE O PRA SEMPRE SEMPRE ACABA
  • ex:NEOLOGISMO CRIAÇÃO DE PALAVRAS
  • Ex:O que é que eu faço Se é você que eu venero Ainda te amo, meu amor, ainda te quero E ter você, paixão pra vida inteira Te carinhar , minha linda sereia..

  • GRADAÇÃO SEQÜÊNCIA DE IDÉIAS
  • 28. Setenta (não) Noventa (não) Cento e cinqüenta (não) Trezentos (não) Quinhentos (não) Setecentos e noventa (não) Oitocentos (não) Novecentos (não) Uma milha....
  • 29. IRONIA
  • 30. “ A solução pro nosso povo eu vou dar Negócio bom assim ninguém nunca viu Tá tudo pronto aqui é só vir pegar A solução é alugar o Brasil ”
  • 31. PROSOPOPÉIA PERSONIFICAÇÃO
  • 32. “ O vento beija meus cabelos As ondas lambem minhas pernas O sol abraça o meu corpo Meu coração canta feliz”
  • 33. ECOS REPETIÇÃO DE PALAVRAS
  • 34. Que vês ? Que vês quando me vês ? Quando a mentira acabar
  • 35. “ Paixão cruel, desenfreada Te trago mil rosas roubadas ...” Pra desculpar minhas mentiras Minhas mancadas Exagerado , jogado aos seus pés Eu sou mesmo exagerado Adoro um amor inventado
  • 36.  
  • 37. EUFEMISMO ABRANDAMENTO
  • 38. Ah...deixa essa boneca Faça-me o favor Deixe isso tudo E vem brincar de amor De amor, hey, hey, hey De amor
  • 39. Dez anos passaram E cresceram meus irmãos E os anjos levaram minha mãe pelas mãos...
  • 40. HIPÉRBATO INVERSÃO SINTÁTICA
  • 41. Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante” As margens plácidas do Ipiranga ouviram o brado retumbante de um povo heróico
  • 42. ANÁFORA MESMO INÍCIO
  • 43. Quando não tinha nada, eu quis Quando tudo era ausência, esperei Quando tive frio, tremi Quando tive coragem, liguei
  • 44. PARONOMÁSIA PALAVRAS PARECIDAS
  • 45. Ando devagar porque já tive pressa E levo esse sorriso porque já chorei demais Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe... Só levo a certeza de que muito pouco sei, ou nada sei... Conhecer as manhas e as manhãs O sabor das massas e das maçãs É preciso amor pra poder pulsar É preciso paz para poder sorrir É preciso a chuva para florir
  • 46. ELIPSE OMISSÃO
  • 47. Ela achou meu cabelo engraçado Proibida pra mim NO WAY ! Disse que nao podia ficar, mas levou a serio o que eu falei Eu vou fazer de tudo que eu puder Eu vou roubar essa mulher pra mim Eu posso te ligar a qualquer hora Mas eu nem sei seu nome Se nao eu quem vai fazer voce feliz ? Se nao eu quem vai fazer voce feliz ?
  • 48. PERÍFRASE APELIDO - lugar
  • 49. CIDADE MARAVILHOSA CHEIA DE ENCANTOS MIL CIDADE MARAVILHOSA CORAÇÃO DO MEU BRASIL
  • 50. OUTROS EXEMPLOS
  • 51. Eu sou a luz das estrelas Eu sou a cor do luar Eu sou as coisas da vida Eu sou o medo de amar Eu sou o medo do fraco A força da imaginação O blefe do jogador Eu sou, eu fui, eu vou ANÁFORA METÁFORA GRADAÇÃO
  • 52. Entre no meu carro Nós vamos rodar E seremos passageiros à noite E veremos a cidade em trapos E veremos o vazio do céu Sob os cacos dos subúrbios daqui Mas essa noite tudo soa tão bem POLISSÍNDETO
  • 53. Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. A gente muda o mundo na mudança da mente. E quando a mente muda a gente anda pra frente. E quando a gente manda ninguém manda na gente. Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura. Na mudança de postura a gente fica mais seguro, na mudança do presente a gente molda o futuro! ALITERAÇÃO
  • 54. Jackie foi nascer numa cabana em Noa Noa Sol do Taiti na pele, now boa Seu pai cruzou o mar, duas filhas na canoa Côco pra beber e leite de leoa Jackie é uma menina tão bonita que enjoa Enjôo de vertigem, viagem de avião Hálito de virgem, dois olhos de amêndoa Vaca, cadela, macaca, gazela Linda toda, toda linda ela Toda beleza se reconhece nela Jackie Tequila coca-cola e água Égua, língua, mingua minha mágoa oh oh yeh ALITERAÇÃO
  • 55. EIE, IIIIIIIIIII IE IEIEIEIEIEEEEE ASSONÂNCIA
  • 56. Vamos celebrar nossa justiça ganância e a difamação Vamos celebrar os preconceitos O voto dos analfabetos Comemorar a água podre E todos os impostos Queimadas, mentiras e sequestros Nosso castelo de cartas marcadas O trabalho escravo Nosso pequeno universo Toda a hipocrisia e toda a afetação Todo roubo e toda a indiferença Vamos celebrar epidemias:É a festa da torcida campeã Vamos celebrar a fome Não ter a quem ouvir Não se ter a quem amar Vamos alimentar o que é maldade Vamos machucar o coração IRONIA
  • 57. Há soldados armados, amados ou não quase todos na rua, indeciso cordão PARONOMÁSIA
  • 58. É como não sentir calor em Cuiabá Ou como no Arpoador não ver o mar É como não morrer de raiva com a política Ignorar que a tarde vai vadia e mítica E como ver televisão e não dormir Ver um bichano pelo chão e não sorrir É como não provar o nectar de um lindo amor Depois que o coração detecta a mais fina flor SÍMILE
  • 59. Não alimento amor por telefone Isso é ilusão Não adianta falar de amor ao telefone Isso é ilusão (Tele-fome ) NEOLOGISMO
  • 60. E, SÃO PAULO E, SÃO PAULO SÃO PAULO TERRA BOA SÃO PAULO DA GAROA PERÍFRASE
  • 61. Complicada e perfeitinha você me apareceu era tudo que eu queria estrela da sorte Quando à noite ela surgia meu bem você cresceu meu namoro é na folhinha mulher de fases PARADOXO
  • 62. Você é a escada na minha subida Você é o amor da minha vida É o meu abrir de olhos o amanhecer Verdade que me leva a viver Você é a espera na janela A ave que vem de longe tão bela A esperança que arde em calor Você é a tradução do que é o amor METÁFORA
  • 63. Teus sinais me confundem da cabeça aos pés mas por dentro eu te devoro. Teu olhar não me diz exato quem tu és mesmo assim eu te devoro, Te devoraria a qualquer preço porque te ignoro ou te conheço quando chove ou quando faz frio METONÍMIA
  • PLEONASMO EU NASCI HÁ DEZ MIL ANOS ATRÁS
  • Ex: Quando não houver saída Quando não houver mais solução Ainda há de haver saída Nenhuma idéia vale uma vida Quando não houver esperança Quando não restar nem ilusão Ainda há de haver esperança cada um de nós, algo de uma criança Enquanto houver sol, enquanto houver sol Ainda haverá Enquanto houver sol, enquanto houver sol PARADOXO
  • 66. CONTROLANDO A MINHA MALUQUEZ MISTURADA COM MINHA LUCIDEZ NEOLOGISMO
  • 67. Penso no que faço no que fiz e no que vou fazer Hoje o seu retrato só me mostra o que eu quero esquecer Quando o sol se for meu amor vou onde você for Quando o sol se for a luz indicará você pra mim GRADAÇÃO
  • 68. Então já era Eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer Se for já era Eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer Se for já era Eu vou fazer de um jeito que ela não vai esquecer EUFEMISMO
  • 69. FALOU, MOÇADA!!! DIGAM TCHAU!!!

sábado, 20 de abril de 2013

Oficina "Rádio escola na feira do livro" 2013


 Os alunos do projeto rádio raposo participaram nos dias 18 e 19 de abril de oficinas  de preparação do programa "Rádio escola na Feira"com a equipe do Nte belém  Rádio escola.




Oficina com o prof Elvis Lira











O programa será apresentando  no dia 02 de maio às 15h na XVII feira Pan-Amazônica do livro - 2013

domingo, 30 de dezembro de 2012

Curso aluno integrado 2012








lista dos alunos que concluiram o curso

Lista de alunos que concluiram o módulo introdutório
1.AltairesTrajanas dos Reis
2.Ana Carla Cosmo do Nascimento
3.Arthur Klinsman Araujo Dias
4.Daniel Matos Leal
5.Ednan Reis da Silva
6.Evilly Pinto Souza
7.Flávio Emanoel Alves Oliveira
8. francisco aureliano da silva junior
9. Igor Alexandre da Silva Damasceno
10. Janes de Oliveira Alvis
11. Joana Izamara Ramo Araujo Pereira
12. Lorrane Santos Da Cunha
13. lucas alexander oliveira salvino
14. Lucyene Rocha bandeira
15. Mardoni Mendes Coelho
16. Maria Yasmin Barbosa Chaves
17. Mateus araujo da silva
18. Mateus Bezerra Cardoso
19. Mirian rodrigues dos santos
20. Pâmela Souza Santos
21. Patrick Felipe Ferreira De Sousa
22. Raiure Oliveira Santos
23. saddam da silva sales
24. Thaynann Sousa Silva

terça-feira, 29 de maio de 2012

OFICINAS

A sala de informática da escola Jorge Lopes Raposo, coordenada pela profª Helioneth Lisboa promove as seguintes oficinas:

1.Correio eletrônico ( criação de e-mail)

Público alvo: alunos do ensino fundamental e médio
Data:29/05 e 30/05

2. Criação de slides

Público alvo: alunos chefes de turma
Data: 04,05,06 e 12/06




quarta-feira, 2 de maio de 2012

CAMPANHA :VAMOS MANTER A ESCOLA LIMPA



A sala de informática da escola Jorge Lopes Raposo promove a campanha: "Vamos manter a escola limpa,coordenada pela profª Helioneth Lisboa e pelos professores do projeto Mais educação, professores Welton e Sara Lopes da Silva


Campanha “Vamos manter a escola limpa”

Justificativa:

A escola é um espaço que deve ser preservado por todos, por isso faz-se necessário desenvolver uma campanha que possibilite despertar no alunado a conscientização e preservação do ambiente escolar, realizando oficinas de reciclagem e ensinando aos mesmos a selecionar o lixo produzido na escola.


Objetivo:

Conscientizar aos alunos da importância de manter a escola limpa, preservando o ambiente escolar


Metodologia:

A campanha será desenvolvida com os alunos do projeto @gcom, chefes de turma, juntamente com os professores colaboradores.


Período:

primeiro e segundo semestre de 2012


Estratégias:


1º passo: Selecionar os alunos representantes de turma


2º passo: Reunião com os representantes de turma


3º passo: Divulgar a campanha na escola


4º passo: Solicitar aos alunos que produzam cartazes informativos e cestos de lixos para a sala de aula, selecionando o lixo orgânico e não orgânico


5º passo: Produzir lixeiras padronizadas para a área da escola.


6º passo: Buscar parceiros para a campanha


7º passo: Realizar oficinas de reciclagem

- Alunos do ensino fundamental: Tema: “Reutilizando o papel”- profª de Ciências


- Alunos do ensino Médio: Tema: Produção de enfeites para a festa junina”- profº Artes

Meus slides

Amigo cão