domingo, 30 de novembro de 2008

Que bom, dezembro chegou




Então É Natal
Simone


Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom Natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa...

É Natal, É Natal, É Natal.

Jennifer com o papai Noel no Castanheira Natal 2007

video

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Conheça Pierre Lévy o filósofo da informação



Pierre Lévy (Tunísia, 1956) é um filósofo da informação que se ocupa em estudar as interações entre a Internet e a sociedade.
Pierre Lévy nasceu numa família judaica. Fez mestrado em História da Ciência e doutorado em Sociologia e Ciência da Informação e da Comunicação, na Universidade de Sorbonne, França. Trabalha desde 2002 como titular da cadeira de pesquisa em inteligência coletiva na Universidade de Ottawa, Canadá. É membro da Sociedade Real do Canadá (Academia Canadense de Ciências e Humanidades).
Em seu livro A Revolução Contemporânea em matéria de Comunicação, Lévy faz uma análise da evolução da humanidade, abordando o desenvolvimento da Internet e a digitalização da informação.
De acordo com Levy, antes da popularização da internet o espaço público de comunicação era controlado através de intermediários institucionais que preenchiam uma função de filtragem entre os autores e consumidores de informação. Hoje, com a internet quase todo mundo pode publicar um texto sem passar por uma editora nem pela redação de um jornal. No entanto, essa liberdade de publicações que a internet oferece, acarreta no problema da veracidade, da garantia quanto a qualidade da informação. A cada minuto, novas pessoas assinam a Internet, novos computadores se interconectam, novas informações são injetadas na rede. Quanto mais o ciberespaço se estende, mais universal se torna. Novas maneiras de pensar e de conviver estão sendo elaboradas no mundo das telecomunicações e da informática.
Segundo o filósofo, “as redes de computadores carregam uma grande quantidade de tecnologias intelectuais que aumentam e modificam a maioria das nossas capacidades cognitivas”, ou seja, o computador é um instrumento de troca, de produção e de estocagem de informações, tornando-se desta forma, um instrumento de colaboração. A televisão, ao contrário, para Lévy, é um meio de comunicação passivo, pois não proporciona ao receptor nem troca de informação, nem interatividade, pois ao assistir uma programação na TV, o receptor apenas absorve as informações, mas não consegue interagir com o emissor.
Lévy afirma ainda que “a comunicação interativa e coletiva é a principal atração do ciberespaço”. Isso ocorre porque a Internet é um instrumento de desenvolvimento social. Ela possibilita a partilha da memória, da percepção, da imaginação. Isso resulta na aprendizagem coletiva e na troca de conhecimentos entre os grupos.

Fonte:http://pt.wikipedia.org

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Aula do curso de mídias no NTE


Inicia hoje um novo desafio em nossas vidas, o curso de especialização Mídias na Educação,na primeira aula no NTE minha turma ansiosa em começar o curso de mídias,pois será mais uma etapa em nossas vidas,ou seja, um novo desafio a todos, já que um curso à distância requer muita força de vontade e dedicação dos alunos em relação ao curso.
No laboratório do NTE,nosso tutor o profº Paulo Augusto nos auxiliou em nossos primeiros trabalhos na plataforma E-Proinfo, postar no fórum nossa apresentação e expectativas em relação ao curso.


1ª Atividade na plataforma e-proinfo












Apresentação – Curso Mídias na Educação

Eu me chamo Helioneth Daniel Lisboa, sou professora de língua Portuguesa e literatura,sou formada pela UFPa em 1998,trabalho desde 2003 na rede estadual de ensino com turmas do nível médio e do EJA, leciono nas escolas estaduais Jorge Lopes Raposo e Poranga Jucá em Icoaraci.
O interesse pela Internet surgiu a algum tempo atrás, mas somente este ano me envolvi mais nesse ramo de conhecimento, fiz o curso no NTE “Tecnologia aplicada à Educação: ensinando e aprendendo com as Tics” e percebi neste curso a grande importância das novas tecnologias para nós professores,propagadores de conhecimentos e também para nossos alunos.
As tecnologias estão cada vez mais presentes em nossa vida, é e de extrema importância para nós enquanto professores estarmos em contato com o uso dessas novas tecnologias e saber usá-las em sala de aula.
E o meu papel como educadora é buscar me aperfeiçoar, adquirir novos conhecimentos para divulgá-los aos meus alunos da melhor forma possível, uma vez que a sociedade hoje cobra esse conhecimento.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Curso de Mídias na Educação



Foi Realizado no dia 25 de novembro, no Hangar,a aula inaugural do curso de especialização: Mídias na Educação. No evento contamos com a presença de nossos ilustres professores do NTE, o Sr. Luiz Cavalcante e vários profissionais da aréa.
A aula inaugural contou com a palestra "Tecnologias livres na educação".Contamos ainda com a presença do professor Marcelo Carvalho com a palestra "Introdução à plataforma e-proinfo.




sábado, 8 de novembro de 2008

A era da tecnologia

Vivemos numa sociedade onde a tecnologia esta cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, em qualquer parte do mundo e onde quer que você vá percebemos a presença dessas novas tecnologias em nossa vida.
Hoje nossas crianças estão crescendo e convivendo de perto com essas novas tecnologias que estão surgindo, pois estão influenciando diretamente nossos baixinhos em todos os sentidos.
A era da tecnologia envolve a todos e principalmente as crianças, já que está possibilitando a essa nova geração um novo modelo de conhecimento: o tecnológico
O que se percebe é que a interação das crianças com essas novas tecnologias está possibilitando um desenvolvimento cognitivo maior e mais abrangente do que até então a geração passada não recebeu e não teve contato.
Vamos viver a era da tecnologia.




As Novas tecnologias influenciando a vida da nossa futura geração







Jennifer nasceu em setembro de 2006, e hoje com apenas dois aninhos, já tem pleno domínio das tecnologias que estão ao seu redor, pois nasceu nessa nova era tecnológica,e no seu dia a dia é influenciada diretamente pela prensença dessas tecnologias.
Jennifer adora brincar no computador,adora ver na internet figuras animadas de animais e bonecas,fica fascinada pela variedade de coisas que a internet mostra.
já está aprendendo a jogar no seu Play 2,adora corrida de carro, fica fascinada com a perfeição da imagem que o jogo proporciona.
com o seu MP4, jennifer adora ver vídeos, escutar músicas, adora principalmente quando desliga o aparelho e aparece um cachorrinho se despedindo.
Com o celular jennifer gosta de ouvir os sons dos toques das chamadas, chega até a dançar ouvindo os toques.
Essas são algumas atividades que a pequena Jennifer faz quase todos os dias, mas é claro como é filha de uma professora não pode deixar de estudar.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Entrega dos certificados do curso:Tecnologias na educação: ensinando e aprendendo com as Tics

Hoje no auditório CISNE,foi entregue o certificado do curso:Tecnologias na Educação:ensinando e aprendendo com as
Tic
s,realizado pelo NTE.





Na entrega dos certificados contamos com a ilustre presença do Sr.Cavalcante, que falou da importância desse curso para nós futuros multiplicadores.


Contamos com a presença da nossa amada professora Anilza, que nos proporcionou durante todo o curso o despertar pela busca do conhecimento pela informática.

Estava presente na entrega dos certificados o profºJucelino que durante o curso sempre teve um carinho especial por nossa turma, pois sempre contavamos com sua presença em nossa sala.





O profº Franz sempre com seu entusiasmo pelo seu belíssimo Blog,despertou em nós o interesse em desenvolver e sempre aperfeiçoar nossos blogs, na minha turma com certeza o adorável professor despertou esse interesse.



A turma da professora Anilza novamente junta para receber o certificado do curso,parabéns a todos nós.Que nós possamos propagar esse conhecimento adquirido no curso a todos os nossos alunos e que possamos envolvê-los nesse novo mundo, onde a tecnologia está imperando cada dia mais.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Oficina: Atividades programas PROINFO

Nessas oficinas conhecemos um pouco mais sobre como utilizar o Linux educacional, suas ferramentas e muitos mais,fizemos ainda várias visitas por alguns sites importantes, e o que mais me chamou atenção foi o site do Domínio público, http://www.dominiopublico.gov.br por ser um site completo, nele você encontra pesquisa sobre todos os assuntos que imaginar, adorei visitá-lo.



7ª oficina para inclusão digital

A cerimônia de abertura da 7ªoficina para inclusão Digital,foi no dia 4/11 no hangar


Conheça um pouco sobre as oficinas para Inclusão Digital realizadas em alguns estados brasileiros


A 1ª edição da Oficina para Inclusão Digital aconteceu no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF), nos dias 14, 15, 16 e 17 de maio de 2001. Dentre as diretrizes gerais formalizadas em seu documento final, destacam-se: que os esforços de inclusão digital relativos as crianças são prioritários, ainclusão digital deve ser parte essencial do processo de escolarização, deve existir controle social dos recursos alocados nas ações de Inclusão Digital e que devem ser garantidas a coordenação e regulamentação dos esforços para criação de uma estrutura física de acesso lógico de alto desempenho para ser utilizada também pelas ações de Inclusão Digital.

A 2ª Oficina para Inclusão Digital, realizada também em Brasilia (DF), no Blue Tree Park Hotel, em março de 2003, foi uma iniciativa conjunta do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, por intermédio da sua Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, o Sampa.org e a Rede de Informações para o Terceiro Setor (RITS). O objetivo foi dar continuidade as diretrizes da primeira edição de 2001, discutindo e definindo as estratégias de inclusão e equiparação de oportunidades para a população brasileira, em relação aos recursos das tecnologias de informação e comunicação existentes.

A 3ª Oficina para Inclusão Digital aconteceu em São Paulo (SP), em maio de 2004, no Centro Cultural São Paulo. Ao mesmo tempo em que ocorria a terceira edição da oficina, acontecia também o III Encontro Latino-Americano de Telecentros, destinado à troca de experiências entre os principais agentes envolvidos em programas de inclusão digital na América Latina e Caribe e o II Encontro Nacional de Telecentros.

A 4ª Oficina para Inclusão Digital, foi realizada no Rio de Janeiro (RJ), em outubro de 2005. O evento teve como objetivo fazer um balanço da evolução das ações de inclusão digital no Brasil. Em um cenário difuso, com novos protagonistas, outros temas foram abordados como a TV Digital, as rádios comunitárias como impulsionadoras de ID e a Cúpula da Sociedade da Informação. Conceitos de uso de tecnologia foram mudados, como a afirmação de que curso de informática é inclusão digital e de que computador não é prioridade para apopulação de baixa renda. De forma geral, houve nesta edição da oficina o reconhecimento geral de que os investimentos em inclusão devem ser política pública.

A 5ª Oficina para Inclusão Digital aconteceu em Porto Alegre (RS), em junho de 2006. Nesta penúltima edição foram apresentadas e debatidas as melhores práticas e visões sobre a inclusão digital no Brasil e em outras partes do mundo que visam a definição de estratégias e propostas de políticas públicas voltadas para odesenvolvimento econômico e social do país. Foram destaques no evento as oficinas de trabalho sobre os principais temas, a consolidação de documento oficial das melhores práticas para efetivação da inclusão digital no Brasil e o lançamento do Prêmio Nacional de Inclusão Digital.

A 6ª Oficina para Inclusão Digital, foi realizada no Salvador (BA), Instituto Anísio Teixeira - IAT, em novembro de 2007. O evento deu continuidade aos objetivos da edição anterior para a definição de estratégias e propostas de políticas públicas na área de inclusão digital, e ainda aproximou as pessoas que atuam na capacitação e implementação de iniciativas envolvendo a inclusão digital. Foram realizadas oficinas de trabalho, painéis e debates, apresentados casos de sucesso e consolidado um documento sobre as melhorespráticas para efetivação da inclusão digital no país. As plenárias abordaram os seguintes temas: infra-estrutura, cidades digitais, redes locais, tecnologias da informação e comunicação nas escolas, conteúdos locais (produção e difusão), economia solidária e arranjos produtivos locais, governança da Internet e políticas públicas de inclusão digital.

Fonte: http://www.inclusao.digital.pa.gov.br

Meus slides

Amigo cão